Taxa de mortalidade baixou em maternidade de Luanda

A mortalidade materna e neonatal, baixou na Maternidade Augusto Ngangula em 2017, ano em que foi registada á morte de 73 mulheres, contra 173 óbitos ocorridos em 2016, e de 796 bebés, contra 1.025 mortes registadas no ano anterior.

A informação foi avançada ontem, à agência de notícias Angop pela directora-geral do hospital público, Ligía Alves, para quem a redução da mortalidade é resultante da formação contínua dos seus quadros, do cumprimento rigoroso dos protocolos, de orientação clínica e da humanização dos serviços. A maternidade Augusto Ngangula realizou, no ano passado, 15.714 partos, mais 47 em comparação com o balanço de 2016, em cujo ano foram feitos 15.667 partos, informou a gestora hospitalar, que deu ênfase ao facto de, em 2017, terem sido atendidas mais mulheres do que em 2016 e registadas menos mortes. No ano passado, foram atendidas 24.069 mulheres e, no ano anterior, 23.496, no Banco de Urgência, salientou a médica, que disse acreditar que o sucesso é resultante das estratégias criadas, para a redução da mortalidade materna e neonatal na unidade hospitalar pública. A médica alertou, que o maior número de mortes na maternidade, ocorre em mulheres que dão entrada tardiamente e com problemas hemorrágicos provocados por partos iniciados em casa, ou por não terem ido às consultas pré-natal.

Post Author: facesdeangola

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *