Médicos promovem farmácias

Em Angola, há médicos e farmácias, que recebem benesses de indústrias farmacêuticas, para promoverem as suas marcas de medicamento, revelou ao Jornal de Angola, uma fonte do Ministério da Saúde.

Inspectora de Saúde Cristina da Cunha, mostra as diferenças evidentes entre uma carteira de Coartem original, à esquerda, e a falsa à direita.

A fonte, que solicitou o anonimato, informou que os médicos que estabelecem esse tipo de pacto com as indústrias farmacêuticas, conseguem promover os remédios a partir das receitas médicas que prescrevem aos seus pacientes.
Disse que ao prescreverem uma receita, colocam sempre a marca do medicamento da referida indústria e convencem o paciente a comprá-lo, com o argumento de ser o melhor para curar a enfermidade que o apoquenta.
“Mas, muitas vezes, o paciente não dispõe de dinheiro suficiente para comprar a marca de medicamento porque são caros, pois foi-lhe incutido a ideia de que só aquele fármaco cura a sua doença”.
Infelizmente, continuou, muitos pacientes sem recursos para adquirirem o remédio, prescrito pelo médico ficam impossibilitados de tratar a doença e, com isso, vêem o quadro clínico a agravar-se a cada dia que passa.
A fonte informou que os médicos, que enveredam por tais práticas têm sempre opções de medicamentos com o mesmo efeito e, por sinal, mais barato, mas não os receitam por causa do contrato com a indústria farmacêutica.
“É verdade, também, que a própria população criou um preconceito à volta disso. Entende que só é bom medicamento, quando apresenta uma marca conhecida. Isso não passa de uma questão cultural”.
A fonte disse que a nível das farmácias, a situação ocorre quando um cliente vai à procura de um medicamento genérico, e o induzem a comprar o comercial, que é mais caro e nem sempre está ao seu alcance.
Afirmou que as farmácias têm, a obrigação de apresentar ao cliente as duas opções de medicamento (comercial e genérico) para que este possa escolher o que melhor combina com o seu bolso, mas, infelizmente, não o fazem dessa forma.
Informou que a OMS orienta  todos os países do mundo, a promoverem mais os medicamentos genéricos, e não os comerciais por ser a linha usada na rede pública.

 

Post Author: facesdeangola

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *