Bancos esperam efeito moderado

Depois da depreciação do kwanza, ocorrida no leilão de divisas de terça-feira, com o que o dólar ficou cotado em 185,020 e o euro em 220,771 kwanzas, os ajustamentos que se vão seguir “provocarão impactos de várias natureza”, admitiu ontem, o presidente da Associação Angolana de Bancos (Abanc).

 

Em declarações ao Jornal de Angola, Amílcar Silva, ressalvou que o impacto se vai restringir às metas, do Programa de Estabilização Macroecnómica (PEM), numa declaração que minimiza os receios de uma eventual escalada dos preços.
“Os preços sofrerão ajustes, mas haverá, certamente, algumas excepções necessárias que poderão vir a ser estabelecidas para os produtores agrícolas, entre outros, dentro do mesmo quadro”, afirmou o presidente da Abanc.
Amílcar Silva, declarou concordar com a decisão do Banco Nacional Angola (BNA) de adoptar, um regime cambial de flutuação administrada, dentro de uma banda compatível com a meta de inflação e o nível das reservas internacionais líquidas, considerando-a adequada para um país como Angola, com elevadas taxas de importação.

 

Post Author: facesdeangola

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *